Oportunidades Disfarçadas, livro de Carlos Domingos

O livro da semana é de Carlos Domingos, publicitário, empresário e escritor. Em “Oportunidades Disfarçadas” há incríveis histórias de marcas e empresas que começaram em diferentes momentos e contextos, se superaram em desafios diversos, até encontrarem o ponto de equilíbrio para o sucesso.

A leitura deixa claro que de fato não é fácil empreender, mas que aquele produto ou serviço que você pode tanto admirar surgiu de uma pessoa interessada em resolver algum problema. Sim. Óbvio, mas importa sim ressaltar que o primeiro passo sempre foi acreditar naquilo que tem conhecimento, gosta e defende. Se sozinho não se faz um verão Domingos nos mostra que houve pequenas inovações em tempos ásperos como as guerras e puderam gerar sementes no comércio e indústria. A história já nos mostrou que as guerras promoveram também mudanças tecnológicas lideradas principalmente por governos.

O livro não se propõe a ser um manual ou guia prático. Mas sim trazer à luz histórias de personagens do universo empresarial que convivem conosco diariamente, como o filtro do café Melitta, que mudou o jeito de se fazer a bebida.

Inspiração. Palavra que pode ser quebrada e articulada em muitas, porém, é o que entendi da obra de Carlos. Muita inspiração e transpiração de fundadores e suas equipes para atingir ou ao menos buscarem o sucesso, tornando suas marcas em ícones no mercado.

Em tempos de startups, empreendedorismo criativo, encubadoras e negócios digitais vale a pena olharmos para trás não para copiar, claro, mas para buscar motivação e reflexão para aproveitar as oportunidades que estejam ali, paradas, somente aguardando alguém resgatá-las e transformar um mercado, um serviço, um produto ou mesmo comunidades.

Interessante como Domingos vai na veia ao propor capítulos como: oportunidades disfarças nas crises, oportunidades disfarças nos erros,
oportunidades disfarças nos problemas pessoais, oportunidades disfarças no sofrimento, oportunidades disfarças nas fatalidades, assim como na falta de recursos, entre outras.

Quando muito fácil seria trazer casos de sucessos vindos da CNTP, ou condições normais de temperatura e pressão, como diria minha professora de química, que se aplicaria talvez o “Business Plan”. Mesmo entendendo que atualmente os planos simulam cenários diversos, está na “guerra do mercado” talvez a melhor condição para se forjar uma solução imprescindível ainda não pensada, ou ainda não moldada de fato para o cliente certo, na hora certa.

Como a história de Toy “R” Us, do fundador Charles Lazarus, que observou o seu tempo de prosperidade econômica americana, da década de 1950, quando muitos pais perguntavam por brinquedos em sua loja de móveis para bebês em Washington. “Animados com otimismo geral do pós-guerra, os casais voltaram a ter filhos. Diversos empresários viram a possibilidade de faturar alto com o baby boom.” Ele observou que os brinquedos eram vendidos principalmente nas lojas de departamentos e na época do Natal. A nova loja chegou a ter 1.500 pontos espalhados pelo mundo, vendendo brinquedos em todas épocas do ano.

Ou a história do produtor Reuben Mattus, que produzia um dos mais famosos sorvetes de Nova York nos anos 1960. Porém, mesmo com uma qualidade assumidamente incomparável ele sofria preconceito por não ter o produto de origem dinamarquesa. Os sorvetes escandinavos eram tidos como os melhores para aquele tempo. Mattus teve a ideia de seguir para uma biblioteca para conhecer melhor o idioma dinamarquês e segundo o autor Carlos Domingos, o produtor chegou ao nome Häagen-Dazs, surgindo assim em 1961 a “grife de sorvete finos”.

O livro é rico em exemplos de histórias como a McDonald´s, Filtros Mellita, TAM, Natura, KLM, Orkut, Google, Wal-Mart, Apple, revista Playboy, Casas Bahia, Apple, Fast Company, Disney, bonecas Barbie, Ford, Pilates, entre outras marcas.

“O lendário investidor Warren Buffett construiu uma fortuna avaliada em US$ 40 bilhões sempre remando contra a maré. Ele aproveita momentos de baixa para comprar ações, que, depois revende, quando as cotações sobem. Warren repete a mesma fórmula há 50 anos e se diverte com o “efeito manada”, quando todo mundo compra ao mesmo tempo para, mais tarde, revender ao mesmo tempo: o que aprendemos com a história é que as pessoas não aprendem com a história.”

Domingos por fim traz maneiras de identificar oportunidades disfarçadas, como aquelas que relatou em seu livro. Destas eu destaco duas indicações, como:

Seja capaz de mudar de opinião e de direção

Não basta levantar a bandeira da flexibilidade de empresário, é importante saber ouvir os clientes e funcionários, pesquisas e reclamações. O autor ainda destaca que “somente profissionais realmente seguros” aceitam mudar de opinião. Ele ainda exemplifica com o caso da Olivetti, que liderou o mercado de equipamentos para escritório mundialmente. Porém, nos anos 1970 ignorou o surgimento dos computadores e continuou inovando lateralmente seus equipamentos, quando, o que ocorria era uma disruptura (minha nota).

“Somente quem for maleável, adaptável e estiver realmente disposto a ajustar as velas garantirá seu espaço num mundo que muda de direção continuamente.”

Não desista: toda empresa passa por dificuldades

Toda empresa passa por dificuldades, da Apple à Starbucks e hoje ambas são referências no segmento e no mercado. A Toyota de certa forma provou de seu próprio veneno, com a cultura de “estimular obsessivamente a participação dos funcionários”, um dos seus sucessos organizacionais, lida com acusações destes de esgotamentos físico e metal.

O livro nos traz pequenas histórias de sucesso e nos estimula a observar seus padrões de desenvolvimento e queda. O olhar atento do dono para movimentações e mudanças no mercado foi fundamental para muitos negócios no último século. Inovações surgiram muito além dos laboratórios técnicos e estão mais próximas do que possamos ver, bastando apurar o olhar e procurar enxergar uma oportunidade disfarçada.

Livro: Oportunidades Disfarçadas – Histórias reais de empresas que transformaram problemas em grandes oportunidades
Autor: Carlos Domingos

Livro: Oportunidades Disfarçadas

Agora é sua vez, comente! 

Por Cristiano Lynn Morley, publicitário, profissional de marketing e fundador do oPlanodeVoo.com

Siga @oplanodevoo  Instagram Facebook Twitter

Entre em contato através do e-mail  blogoplanodevoo@gmail.com 

Os comentários publicados são de responsabilidade integral de seus autores e não representam a opinião deste blog. Observando que não são permitidas mensagens com propagandas ou conteúdos ofensivos e desrespeitosos.

Anúncios

Agora é com você, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s