Post | Seu Post muito além dos 15 minutos (Série :: Blogs 3/5)

Quando nascem os blogs muitas vezes morrem outros milhares, perdidos em links desatualizados, porém em páginas repletas de conteúdo e autores extremamente motivados com aquela distante nova janela para o mundo. Se isso lembrou aquela inscrição na academia como promessa de ano novo, mas não durou alguns meses, provavelmente acertou.

Um blog é um formato aberto de expressão, que está sendo disposto a dialogar com pessoas afins, tornando-se uma fonte de informação dentre o segmento que pretende atuar. O blog permeia o meio como um canal, mas tão quanto é um produto, deve ser encarado como tal. Sua origem é amadora e esta linguagem não pode deixar de existir, pois é seu real DNA.

Naturalmente as expectativas e reações de quem está do outro lado, dispondo de tempo para ler o que escreveu ou simplesmente replicou, formarão o pacote de questionamentos sobre a pertinência de sua interação e assim sobre a credibilidade do blog. Questionamentos como o quanto o leitor foi motivado a retornar, a assinar o RSS ou a ignorar tudo aquilo e partir para o Sr. Google.

Boa vontade não salva um post ou blog. No auge de sua exuberância, mas total inatividade, uma árvore precisa de água, sol na medida certa, adubo, poda, proteção da chuva e do tempo. Um dia ela dará frutos e a sombra tão esperada em retribuição. Nesta leitura a motivação para se tornar um autor de blog é gigante. Porém, infelizmente muitas ideias excelentes são perdidas ao logo da web por falta de disciplina.

Comecei este post trazendo a sagrada frase de Andy Warhol, que viveu intensamente os anos 1960 na indústria cultural, “um dia, todos terão direito a 15 minutos de fama”. A fama instantânea que as novas mídias está permitindo acontecer contribui muito na consolidação do formato blog, refletida por diversas redes sociais que se embasam no conceito “Mural”.

Antes de tudo, pergunte a si mesmo qual propósito do seu blog, qual seu segmento de atuação. Existem referências para benchmarking? Questionar como será feito o conteúdo, se planejando para fontes de informação e se organizando a médio e longo prazo. O blog pode ser uma segunda atividade pessoal, mas uma das palavras chaves em sua audiência será a disciplina pela frequência de postagens. Definir uma politica de comentários e como pretende lidar com opiniões contrárias, motivadoras ou críticas, integra o quesito manutenção.

As plataformas disponíveis permitem uma perfumaria que toma a atenção do projeto que não pode esconder uma possível falta de “Entrega”. Para estes tempos de google o conceito de relevância paira sobre o conteúdo passa a fazer sentido para motores de busca. Alguns drivers básicos como textos curtos, palavras chave que promovem uma forma de “taguear” e facilitar uma busca futura, espaço para interatividade e multimídia, como vídeo, áudio, links ou fotos promovem uma performance de acessos saudável.

O monitoramento é ponto fundamental na manutenção do blog e recursos gratuitos existem e devem ser trabalhados na constante evolução dos posts. O Google Analytics permite uma leitura completa através das métricas de análise disponíveis, como links clicados, tempo de leitura, palavras pesquisadas, localização geográfica do leitor, bastando cadastrar seu endereço, que poderá também ser identificado por .com .com.br (a partir de compra de domínio). O que alguns autores ainda preferem manter as terminações tradicionais pela original identificação de um blog clássico, como wordpress.com ou blogspot.com, para citar somente 2 exemplos.

Assim como a perfumaria de layouts o desvio de atenção do blogueiro ainda pode passar pela etapa de divulgação do blog, que merece um capítulo a parte em seu plano de ação. Divulgar nas milhares de redes não se faz por quantidade mas por qualidade e mensurando tanto quanto se mensura o blog no campo estatísticas. Cada rede social tem seu perfil e tipo de usuários, além de regras de postagem que devem ser respeitadas.

Não podendo deixar de abordar um dos principais geradores de fluxos para sites como o serviço Google AD Sense. Quando cadastrado pelo usuário, ele permite a monetização do blog pelos views e cliques realizados. Áreas de divulgação de publicidade são inseridas no blog pelo Google, que administra o conteúdo publicado conforme perfil de navegação do leitor.

Conduzir um blog é realizar a construção de uma marca de produto ou de um terceiro, que irá ser lembrada como um produto a ser consumido, como uma prateleira repleta de concorrentes na disputa pelo seu tempo, cada vez mais escasso e disputado com as redes sociais.

 

Agora é sua vez! Comente!

Por Cristiano Morley, publicitário, fundador do blog OplanoDeVoo

Nota:

post originalmente publicado no Grupo “Comunicação Geral” na rede Facebook.com, como terceiro de cinco posts da série de Novembro, pelo projeto Comunicação em 5 Sentidos, organizado pela publicitária Aline Cadilhe.

um comentário

  • No que respeita ao mercado de consumo, os blogs cujo objeto é a resenha de produtos têm apresentado utilidade indiscutível, já que os (as) autores(as) tentam, a partir de suas impressões ali registradas, fornecer ao potencial consumidor interessado o maior número possível de informações sobre o bem, indicando seus pontos positivos e negativos. Assim,o consumidor pode melhor sopesar as vantagens e desvantagens do produto, antes de efetivar a compra, eliminando possíveis dúvidas. Com isso, é de crucial importância que o blogueiro faça visitas constantes à sua página, a título de manutenção do conteúdo e interação com os que eventualmente postem comentários.

    Curtir

Agora é com você, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s